A EAAE promove entre 11 e 15 de julho de 2016 a XXI Escola de Verão para professores, que irá decorrer em Loulé, Portugal, uma ação de formação destinada aos Professores do 1.º Ciclo do Ensino Básico, do 2.º Ciclo do Ensino Básico e do 3.º Ciclo do Ensino Básico (GR 230) e do Ensino Secundário (GR 420, 500, 510 e 520).

 

O  cartaz e folhetos de divulgação desta ação podem ser encontrados nos links abaixo

Cartaz: http://www.eaae-astronomy.org/WG3-SS/Documents/Poster-Web.pdf

Informação sobre a ação: www.eaae-astronomy.org/WG3-SS/Documents/Disseminacao-Portugues.pdf

Cronograma: http://www.eaae-astronomy.org/WG3-SS/Documents/Loule-Timetable-19-04-2016.pdf

 

As inscrições encontram-se abertas no link abaixo

http://goo.gl/forms/Hq3ttl1Du6

 

Esta ação de formação é promovida pela Associação Europeia para o Ensino da Astronomia (EAAE) em colaboração com o Working Group 3- NASE da União Astronómica Internacional (IAU). A organização local está a cargo da Escola Secundária de Loulé, com a colaboração da Câmara Municipal de Loulé e do CFAE do Litoral à Serra. Tem o apoio da Direção-Geral de Educação, do Ciência Viva, do Centro Ciência Viva do Algarve e do Millennium BCP.

Acreditado pelo Conselho Científico-Pedagógico para a Formação Contínua em 31 horas, com o registo de acreditação n.º CCPFC/ACC-86465/16, o Curso de Formação tratará de capacitar o público-alvo para a utilização de recursos de forma eficaz nos currículos contendo tópicos de astronomia, através da aquisição/ consolidação de conhecimentos de Astronomia/Astrofísica constantes nos programas dos ensinos básico e secundário. São também objetivos desta ação de formação:

• Explorar um conjunto de atividades experimentais e ferramentas informáticas que permitam aos professores abordar os conteúdos programáticos contemplados nos vários anos de escolaridade e disciplinas abrangidas;

• Contribuir para que os professores aprendam técnicas e conheçam materiais didáticos que lhes permitam, cada vez mais e melhor, inspirar os seus alunos a optarem por carreiras de ciência e trazê-los para um novo nível de proficiência ao nível da cultura científica;

• Dar a conhecer aos formandos a importância histórica de Portugal no desenvolvimento da astronomia e dos instrumentos astronómicos em geral e do Observatório Astronómico de Lisboa, quer naquela que foi a causa da sua génese, quer na sua contribuição, a par dos Observatórios de Coimbra e do Porto, para o papel relevante na astronomia mundial que Portugal representa no presente;

• Dar a conhecer materiais didáticos de astronomia de baixo custo e elevada utilidade e aplicabilidade em sala de aula que podem ser facilmente construídos ou adquiridos pelos formandos em lojas em Portugal.